Macaíba

"Macaíba terra amada/ Histórica é uma beleza/ Filhos ilustres aqui brotam/ Manancial de nobreza/ Desde a sua fundação/ Desse solo, desse chão/ Tidos como realeza."

Total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Aluno da EJA publica seus primeiros cordéis


Miguel Arcângelo Campos, aluno da Educação de Jovens e Adultos -EJA - da Escola Municipal Professor João Faustino publica seu segundo cordel dentro do projeto Cordel na Escola.
Seu primeiro cordel teve o mote "Rei dos Cornos",o segundo "Taperoá".
Miguel nasceu no dia 18 de abril de 1961 na cidade paraibana de Taperoá, sendo filho de Inácio Ferreira Campos e Alcina da Silva Campos. Reside no Município de Macaíba desde 1994.
Também é um dos atores do Filme "Os Pés de Benedita" que está sendo gravado na escola e na comunidade do Distrito Industrial e que breve será lançado. Logo em breve também, serão lançados novos cordéis de Miguel.


domingo, 24 de julho de 2011

Começaram as gravações do Filme OS PÉS DE BENEDITA



Começaram as gravações do Filme Os Pés de Benedita neste sábado, 23/07, na comunidade do Distrito Industrial de Macaíba/RN. O filme é fruto de um projeto de Literatura de Cordel na escola iniciado no ano de 2010. Também é fruto do empenho e participação de alunos, funcionários e professores da Escola Municipal Professor João Faustino, comunidade e principalmente da diretora da escola, Edinalva Firmino, que tem dado total e irrestrito apoio a execução do projeto. Agradecer a Lula Borges, que é responsável pela direção e Augusto Cesar no som direto. A comunidade ficou numa agitação só, com a movimentação das gravações. Bom demais!!!




quarta-feira, 20 de julho de 2011

Guardião do romanceiro potiguar


Yuno silva
repórter

Há exatos 40 anos ele descobriu as cores da cultura popular em São Gonçalo do Amarante, e desde então dedica-se à trabalhosa - e prazerosa - missão de revelar o que é que o folclore potiguar tem. Exemplo da máxima 'amor à primeira vista', Deífilo Gurgel encantou-se pelo bailado do Boi Calemba Pintadinho, do Mestre Pedro Guajiru (grupo que hoje está sob a batuta do Mestre Dedé Veríssimo), assim que avistou os brincantes em seus trajes cheios de fitas e espelhos, um encontro que mudou para sempre a vida deste guardião das tradições culturais.

"Era lindo ver aquilo (o Boi), me apaixonei na hora quando vi as roupas dos galantes (brincantes) reluzindo ao entardecer, e não larguei mais", disse o pesquisador, folclorista, escritor e poeta no alpendre de sua casa no Tirol. Do alto de seus 84 anos, o experiente Deífilo reconhece que começou tarde seu trabalho, mas o fato não o impediu de ser visto como autoridade quando o assunto gira em torno do folclore Norte-riograndense. "Depois daquele dia (em 1971), descobri o folclore e comecei a viajar pelo RN para registrar tudo o que estava a meu alcance", lembra.

E é justamente para tratar sobre seus registros ainda inéditos que a reportagem do VIVER procurou o folclorista, que está em plena atividade debruçado sobre a obra "Romanceiro Potiguar". Deífilo Gurgel trabalha há mais de 15 anos nesta publicação, fruto de uma pesquisa de dez anos realizada entre 1985 e 1995. "Essa demora toda é por causa do volume de material coletado durante a pesquisa. É trabalhoso e demorado mesmo, sem falar que vamos nos envolvendo com outras coisas", justifica. "Nem sei quantas horas de gravação cheguei a fazer, mas ouvi uns 300 romances e entrevistei mais de 100 pessoas", enumera.

Entusiasta de primeira grandeza, Gurgel se diz surpreso com a quantidade e qualidade das entrevistas e das descobertas: "Rodei todo o Estado para fazer esse levantamento do que ainda resta dos romances ibéricos imortalizados por Dona Militana, de São Gonçalo do Amarante. Não imaginava que encontraria tanta coisa!". Ele frisa que sua pesquisa vai de encontro à constatação do musicólogo e historiador Mário de Andrade, que circulou pela região no final da década de trinta catalogando as sonoridades nordestinas. "Mário de Andrade reclamou de não ter encontrado romances por aqui, mas temos que ver ele passou um mês e meio no RN e circulou pouco", disse o potiguar. Vale registrar que foi Andrade quem topou com o coquista Chico Antônio, alçando-o ao patamar onde se encontra até hoje.

Para publicar "Romanceiro Potiguar", Deífilo recebeu propostas do deputado Estadual Fernando Mineiro, que ofereceu, entre outras coisas, apoio logístico para digitação de todo o material; e do Senador João Faustino, com quem trabalhou na Secretaria Municipal de Educação de Natal na época que 'despertou' para o folclore - conversa esta mediada pelo advogado, escritor e presidente da Academia de Letras do RN Diógenes da Cunha Lima. "São apoios individuais e Diógenes perguntou se dava para entregar o livro até 15 de agosto, por isso estou trabalhando ligeiro para ver se dá tempo", adianta.

Descobertas

Os dez anos de pesquisa, apoiadas pela UFRN, renderam boas descobertas à Deífilo Gurgel, mas grande parte dos entrevistados já faleceram: "Sei que há gente nova que herdou esse conhecimento dos romances, mas só uma nova viagem para identificar essas pessoas", esclarece o pesquisador. O potiguar de Areia Branca contou que o "romance mais interessante que conheci foi 'Milagre do Trigo', apresentado por Dona Militana. Só ela sabia cantar e cheguei a chamar temporariamente de 'Jesus Cristo e o Lavrador', até que conheci o professor português JJ Dias Marques, da Universidade de Algarves em uma evento em Sergipe. Ele me disse que já tinha ouvido o romance, mas que só tinha conhecimento de versões em espanhol", disse.

Outra grande descoberta do ex-professor de Folclore Brasileiro do Departamento de Artes da UFRN foi o romance "Paulina e Don João", recitado por Dona Maria de Aleixo em Nísia Floresta. "Dona Maria mescla elementos italianos, uma raridade no RN pois geralmente os temas são ibéricos (Portugal e Espanha)", enfatiza.

Fabião das queimadas

A terceira descoberta destacada por Deífilo foi o romanceiro Pedro Ribeiro, em São Pedro do Potengi. De acordo com Gurgel, Seu Pedro conhecia cantigas antigas dos tempos áureos da pecuária potiguar. "Cantou vários fragmentos de romances criados por Fabião das Queimadas (1848-1928), mas fiquei impressionado mesmo foi com o 'Cavalo Moleque Fogoso'. Fabião era negro, ex-escravo e analfabeto, mas é o único compositor de romances", garante o folclorista. "Cascudo dizia que Fabião era um poeta medíocre, eu não acho", sentencia.

Segundo as pesquisas, no RN só há romances de origem ibérica, principalmente portugueses, que representa cerca de 80% de tudo o que se conhece. "Para melhor compreensão, estabeleci uma espécie de classificação dos romances: de Portugal temos o 'Romance Palaciano', que trata das intrigas da nobreza; os 'Romances Religiosos' e o 'Romance Plebeu'. Já entre os brasileiros temos o 'Romance da Pecuária', 'Romance do Cangaço' e os 'Romances Burlescos', cantados nos circos de antigamente", explica.

Na opinião do folclorista, são três as romanceiras de maior importância no RN: Dona Militana, que sabia mais de 30 romances; Dona Jovina Monteiro, conhecedora de outros 20; e Maria de Vito, da praia de Caraúbas. "Maria de Vito não sabia muitos romances, mas tinha algumas raridades para mostrar como a 'Xácara dos namorados', que tem pouquíssimas versões no Brasil", orgulha-se.

Além dessas raridades, Deífilo disse que o livro trará três romances inéditos: "São romances marítimos do Fandango que escutei de Seu Atanásio Salustino, pai de Dona Militana. São eles o 'Romance Capitão da Armada', Romance do Corsário da Índia', e a 'Xácara da Nau Catarineta'. São pérolas ainda não publicadas em nenhum outro lugar. Igual este livro no Brasil, com essa temática de romances, só outros dois: um de Jackson da Silva Lima (SE) e outro de Doralice Xavier (BA)", garante.

Biblioteca digitaliza romances

As entrevistas foram gravadas em fitas K7, e ficaram guardadas por muitos anos. Com receio de perder o material, Deífilo Gurgel entrou em contato com instituições e a Biblioteca Amadeu Amaral, do Rio de Janeiro, ligado ao Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular - Museu do Folclore, se interessou pela pesquisa. "Enviaram duas funcionárias que levaram as fitas para serem digitalizadas, depois me devolveram os áudios em CD e DVD", lembra.

A proposta inicial de Gurgel é lançar o livro, cuja abertura será assinada por Paulo de Tarso Correia de Melo (presidente do Conselho Estadual de Cultura) com CDs de áudio. "Não entendo muito de música, mas me emociono quando ouço romances como a 'Bela Infanta', apresentada por Dona Militana. Deve ter muita coisa para se ouvir por aí ainda, mas só com um projeto elaborado pelos órgãos culturais podemos registrar isso. Infelizmente os Governos não estão interessados em preservar essa memória", lamenta o autor, que vê o município de São Gonçalo do Amarante como o grande celeiro da cultura popular norte-riograndense. "SGA preserva todos os costumes antigos e a prefeitura de lá precisa atentar para isso e valorizar", aposta.

Passando por uma fase difícil, quando se recupera de uma cirurgia realizada em maio para extrair um tumor benigno na próstata, Deífilo diz que está entre os parentes que mais "esticaram a vida" e pretende, além de lançar "Romanceiro Potiguar", lançar mais dois ou três livros antes de "atravessar o lago da solidão" - diz citando soneto recém escrito. "Estive meio deprimido, mas já estou me recuperando", avisa.

Fonte: Tribuna do Norte

domingo, 17 de julho de 2011

Poesia em forma de forró


Poemas e cordéis que fazem dançar. O cantor e compositor cearense Alcymar Monteiro é marca registrada do forró de raiz, e se junta neste sábado a outra grife do gênero, o Forró da Lua. A poeira vai levantar a partir das 21h, numa noitada que terá ainda o forrozeiro Zé Barros. Alcymar transforma a vida do sertanejo em música, e mostrará mais uma vez como se leva um forrobodó pelas rédeas de vaqueiro.
divulgaçãoAlcymar Monteiro é um dos ferrenhos seguidores do forró de raizAlcymar Monteiro é um dos ferrenhos seguidores do forró de raiz

Sucessos para fazer o povo dançar não faltam. Entre eles estão "Nem olhou pra mim", "Vaquejada", "Ave de arribação", "Cabriola", "Carnaval de rua", "Cavaleiro alado", "Cidadão nordestino", "Colo e cafuné", "Eu quero ver você dizer que eu sou ruim", "Festa de Santo Antônio", entre outros. Certamente não faltarão as versões para mestres como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos e Elino Julião, eternas inspirações.

Alcymar não é intitulado "Rei do Forró" à toa. Em mais de três décadas de carreira, já teve suas músicas gravadas por grandes nomes da MPB como Zé Ramalho e Alceu Valença. Já fez duetos com Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Elba Ramalho, Marinês entre outros. Lança discos desde 1985. Seus últimos trabalhos saíram no ano passado, o "Vaquejadas e Cavalgadas Inesquecíveis", e o CD/DVD ao vivo "Tradição e Tradução", onde mantém seu estilo de orgulho nordestino, com balanço e pesquisa de ritmos. Com Alcymar, história vira arrasta-pé.

Serviço:

Forró da Lua com Alcymar Monteiro. Sábado, às 21h, na Fazenda Bonfim (entrada da Lagoa do Bonfim). Vendas no Posto São Luiz II (Prudente de Morais), Posto Planalto, Chinatown (Natal Shopping).

Fonte: Tribuna do Norte

sábado, 16 de julho de 2011

Projeto Cordel no Shopping



Estamos realizando mais um evento do Projeto Cordel no Shopping,conforme cartaz em anexo. No ano passado a iniciativa se prolongou por 7 meses, onde tivemos a oportunidade de premiar crianças de escolas públicas, atravé do Projeto Bem-te-vi, idealizado pela Pedadagoga Sírlia Lima. Tal Projeto (Bem-te-vi) trabalha com a literatura de cordel nas escolas, e procura incentivar a leitura e promover talentos
dessa arte.
No próximo dia 22, o Cordel no Shopping volta com outras participações. Temos revelações musicais, com apresentação do cd da poetisa cordelista Tonha Mota, que também faz o programa Universo Cultural na FM 93.9. Temos também a apesentação do Projeto Língua Amiga, pela empresária e poetisa Conceição Gama, cujo propósito é
promover a cultura de paz e o espírito solidário nas escolas (em especial, nas escolas de língua estrangeira, espaço onde a poesia de cordel ainda não penetrou). Ainda se falará sobre a campanha Cordel Solidário, onde se pretende levar a reflexão do papel do cordel e dos seus escritores, no que diz respeito à responsabilidade social, à solidariaerdade para com as instituições filantrópicas, que tanto precisam do apoio da sociedade para seguir com a missão de ajuda aos
mais necessitados. Temos a participação da Casa Talento, que falará sobre seu trabalho social com a música e, na oportunudade, o Grupo Suzuki, formados por crianças violinistas da referida Casa, tocarão para os presentes. Temos lançamento do livro infantil "A Briga do Sabão com o Sabonete, do poeta e Professor Izaías Gomes, e o show do poeta humorista Juarez Araújo. Enfim, temos também sarau poético, com a presença da poetisa Rosa Régis e tantos outros poetas. Haverá a
premiação do Projeto Bem-te-vi e sorteio de um brinde-surpresa.


Hélio Gomes (Poeta Hegos)
Coordenador do Projeto.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Vaqueiros podem ter profissão regulamentada no Brasil

Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou o Projeto de Lei que reconhece a profissão de vaqueiro em todo o território nacional.

Por Marília Rocha


Os profissionais que trabalham com o esporte vaquejada podem ter a profissão reconhecida nos próximos meses. É que o projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira (14) pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

O projeto de Lei 2.123/07 reconhece a profissão de vaqueiro em todo o território nacional e identifica os vaqueiros como "profissional que realiza práticas relacionadas ao trato, manejo e condução de animais do tipo bovinos, caprinos, ovinos, bubalinos, equinos e muares".

O relator substituto da matéria, o deputado federal Felipe Maia (DEM) acredita que o projeto representa um avanço para a categoria, pois foram inclusos os direitos a seguro de vida e de acidentes em favor do vaqueiro. "A proposta visa contemplar mais uma classe de trabalhadores com vários benefícios. Todo cidadão tem direitos e atuamos de forma a alcançar um número maior de pessoas", comentou o parlamentar.

Se aprovado, os vaqueiros poderão receber indenizações por morte ou invalidez e ressarcimentos de despesas médicas decorrentes de acidentes no trabalho.

Agora, a matéria seguirá para votação no Plenário da Câmara e depois será encaminhada para o Senado.

Fonte: Nominuto.com

Conexão Cultural Tigre em Goianinha

A Conexão Cultural Tigre/ICRH - Cinemóvel, do projeto Gira Brasil 2011 começou pelo Rio Grande do Norte a viagem que passará por mais de 30 cidades levando produções do cinema brasileiro. Hoje, o Cinemóvel estará em Goianinha, em sessões de 8h, 10h, 13h30 e 15h30 no bairro Novo Horizonte, ao lado do Ginásio Poliesportivo. A platéia vai assistir a O Bem Amado, regravação do clássico televisivo dos anos 70, O Ano em que meus Pais Saíram de Férias, Chico Xavier, entre outras. Tudo em uma tela de 120 polegadas, em ambiente climatizado e com isolamento acústico. A sala escura com 32 lugares é montada em um caminhão especialmente adaptado para isso. Depois do Rio Grande do Norte, o projeto passará por Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe.

Fonte: Tribuna do Norte

Rio Pitimbu em Cordel


Meu mais novo cordel, Rio Pitimbu, de nº 104, traz muitas informações acerca desse manancial tão importante para nossa região. Além do que, evidencia o local da sua nascente, que fica localizada no município de Macaíba, minha terra querida, na Comunidade Lagoa Seca, precisamente na área do Assentamento do Quilombo dos Palmares.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Cultivando Arte 4

GRUPO PEDUBREU APRESENTA:



“4° CULTIVANDO ARTE”

“Cultura é o ato de cultivar”

O “Cultivando Arte” tem como objetivo melhorar a aproximação dos artistas e de seu fazer cultural inter-relacionado com a comunidade, buscando assim melhoria na qualidade dos serviços culturais oferecidos. Fomentando gratuito e mensalmente shows musicais e exposições artísticas visual tendo como palco para a 4° edição o Espaço Galeria Biombo da Arte, No próximo dia 09 de julho o Evento terá a participação dos seguintes cultivadores:

França D'Lima cantando MPB, e Será o Benedito... Grupo musical que canta e Toca um Pé de Serra arretado, grande destaque da Cidade Samburá e de diversos arraiás do RN. O grupo SERÁ O BENEDITO, surgido há quase uma década, é formado por quatro músicos: Tião do acordeom na sanfona, Aldair Miranda no violão e vocal, Dinei Teixeira na Zabumba e vocal e França D’Lima no triângulo e Voz principal, todos oriundos do meio artístico popular de São Gonçalo do Amarante/RN. O quarteto traz em seu repertório o mais autêntico som da música regional nordestina, que tem como tema principal da sua base, o xote e o baião, dentre outros ritmos liquidificados com o cancioneiro popular em ritmos como Coco de Roda, Reggae, característicos da miscigenação cultural brasileira, cantados e eternizados em vozes como a do rei do baião Luiz Gonzaga, do Trio Nordestino, Os três do nordeste, Flávio José, Genival Lacerda, Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil e outros tantos que encantaram gerações e até hoje ainda encantam.

Artes Plásticas

O Biombo da Arte abre as portas para a exposição do Artista Potiguar Francisco Oliveira, filho da comunidade Sitío Breu - São Gonçalo do Amarante, professor de artesanato descobriu o dom da arte através da esposa, após passar por um período crítico de saúde, hoje tornou - se o 1° homem são-gonçalense especializado na tipologia do Crochê, arte em linhas que tece a história e a memória do município como berço do artesanato potiguar. No ato da 4° edição se fará também uma homenagem à arte do acordeom instrumento mestra do forró.


Serviço: Shows com França D’Lima e Forró Será O Binidito
Mostra Visual: Francisco Oliveira – A Arte do Crochê
Participação Especial da Catita de Songa
Onde: Galeria Biombo da Arte – Rua Alexandre Cavalcanti - São G. do Amarante
Dia: 09/07/2011
Que horas: 19h00
Quanto: Entrada Franca
Informações: (84) 8809-0452
www.myspace.com/pedubreu